Janaina Overdrive, de Mozart Freire (2016)

JANAINA-OVERDRIVE-CARTAZ-717x1024A subcultura cyberpunk está representada no novo cinema cearense. Exibido no 26º Festival Ibero-Americano de Cinema – Cine Ceará, o curta-metragem Janaina Overdrive (2016), de Mozart Freire, se apropria do universo fundamentado nos anos 1980 por autores como Bruce Sterling e William Gibson para mostrar que há espaço na ficção-científica para a necessária e atual discussão de gênero.

Trabalho de conclusão de curso de Realização Audiovisual da Vila das Artes, o filme foi selecionado para a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-Metragem. Já a estreia do diretor, Cinemão (2015), entrou no Festival pela Mostra Olhar do Ceará.

Quando a ciborgue transexual vivida por Layla Kayã Sah descobre que o progresso tecnológico ameaça sua existência, ela parte em busca de informações que possam ajudá-la a transcender o plano físico. De cara, a heróina de Mozart estabelece os lados. Sociedade e Governo, aqui representado pela Corporação e sua tentativa de controle biotecnopolítico.

Com as acertadas direção de arte, que Freire assina com Jônia Tercia, e fotografia, de Daniel Pustowka, o cineasta escancara o niilismo de uma Fortaleza hi-tech marginalizada. Há ainda a trilha sonora do duo eletrônico Intuición, que ajuda a construir a cybercultura em torno da narrativa, bem como a inventiva presença de Graco Alves e a imagem noir de Euzebio Zloccowick (1980-2016).

Outro ponto alto é a irreverência da produção ao dialogar com a realidade local. Uma das primeiras cenas do filme, com a banda tocando ao fundo, lembra a tradicional festa fortalezense Dança das Sombras, com indivíduos que transitam entre a chamada normalidade e a necessidade de se expressar diferentemente  do que está imposto pela sociedade. Em outro momento, ciborgues aparecem deitados em redes. Coisa de cearense.

A transciborgue é, essencialmente, um grito de rebeldia e resistência. A modelo ultrapassada entende que é preciso bradar emponderamento para superar as dificuldades sociais, mesmo quando não há muita esperança. Mas para Janaina, as possibilidades existem. E precisam ser exploradas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s