Web-série aborda o trabalho de editoras independentes

Revista Usina lançou em janeiro a web-série ‘Editoras Independentes‘. A série de quatro episódios fala sobre o trabalho feito pelas editoras fora do circuito comercial tradicional. No capítulo de estreia, profissionais do meio responderam sobre a vivência desse mercado tão específico. As editoras Azougue, Oito e Meio, Cozinha Experimental e Oficina Raquel falaram ainda sobre as dificuldades de sobreviver no meio e as diferenças em relação às grandes empresas do ramo.

Em possíveis episódios futuros, o projeto deve abarcar a relevância das editoras independentes em um contexto institucional, com a disputa do protagonismo frente às grandes editoras em concursos e prêmios literários.

Assista ao primeiro episódio.

Editoras Independentes – Episódio 01 from Revista Usina on Vimeo.

Em entrevista ao Repórter Entre Linhas, Arthur Imbassahy, editor da Revista e um dos responsáveis em tocar o programa, comentou que cada editora tem uma trajetória única, com diferentes motivações e linhas editoriais. “No entanto, por se considerarem editoras independentes, todas elas apresentam alguns pontos em comum”, contrapõe.

“Buscamos mostrar que a história dessas editoras serve de exemplo para entender a diversidade que existe no cenário editorial do Rio de Janeiro, com suas diferenças e singularidades”, continua. “Por outro lado, acompanhar o surgimento de uma editora independente ilustra um fenômeno mais amplo que acontece por todo o mundo, a formação de redes de pequenas editoras cada vez mais organizadas entre si, mas que funcionam sobretudo de forma autônoma e local”.

A web-série coloca em questão o conceito de “livro-objeto”, com a publicação física na era digital. “O fazer artesanal em vez de industrial, como funciona a circulação do livro e suas relações entre autor, editor, distribuidor, livrarias, feiras até finalmente chegar ao público leitor”, explica.

Imbassahy esclarece ainda que as pequenas editoras não necessariamente são empresas. A diferença é que as editoras independentes possuem liberdade e autonomia nos projetos, “apesar de todas as dificuldades, que não encontramos no grande mercado editorial”.

Para o editor, um dos pontos principais que estabelece a importância do trabalho dessas editoras é justamente não tratar os livros somente de modo quantitativo. “As editoras independentes, a seu modo, publicam livros para diferentes públicos e criam espaços onde uma multiplicidade de diferentes ideias e textos podem conviver”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s